amor de verao-sexo no verao-urologista-flavio iizuka

Amor de verão: veja cuidados ao fazer sexo nessa estação do ano

Não há como negar: o verão é a estação mais propícia para a prática do sexo. 

Não há como negar: o verão é a estação mais propícia para a prática sexual. Isso porque as pessoas se sentem mais relaxadas, usam roupas mais leves e o corpo fica, literalmente, pegando fogo! Mas será que tudo é permitido no sexo durante esses meses mais quentes? Será que está liberado usar acessórios sexuais que dão uma sensação refrescante? 

Conversamos com o Dr. Flávio Iizuka, urologista e diretor da Climedin, que fala sobre alguns cuidados básicos ao praticar sexo nos dias mais quentes, seja na piscina, na praia ou no banho. Afinal, o verão está aí e precisamos curtir os momentos de prazer da melhor maneira! Leia o papo: 

Fortíssima: O verão realmente estimula práticas amorosas e sexuais e, por isso, aumenta a libido?

Dr. Flávio Iizuka: Do ponto de vista médico, a estação do ano normalmente não afeta essa questão, mas sabe-se que no verão as pessoas ficam com o corpo mais exposto e nesse caso as mulheres usam roupas mais sexy, com exposição maior ao corpo e as pessoas normalmente se cuidam mais por isso, a mulher, por exemplo, se prepara e usa roupas mais estimulantes. 

No calor, por conta dessa aparição, existe uma propensão e um maior interesse dos casais. Tanto o homem quanto a mulher expõe mais o corpo. Essas são algumas questões que estimulam  o sexo no verão. Mas não que o contexto cultural do nosso país vá favorecer a prática sexual e aumentar a libido, principalmente do homem, pois o homem se excita com imagens, mais do que as mulheres.

As mulheres se excitam pelo romance, pela conversa, pelo envolvimento e o homem, muitas vezes se excita pela imagem. E no verão, como existe essa maior possibilidade de interação, devido as confraternizações, saídas para barzinhos e praias, faz com que seja mais ‘fácil’. O especial do verão é a exposição ao corpo, por ser um período onde as pessoas se relacionam mais indiretamente, mas há mais exposição.

A sensação que a água provoca nos corpos excita ainda mais. Foto: Google Imagens.

A descontração e a sensação de relaxamento são atraentes para a prática sexual no verão?

Pelo lado feminino, sim. Sabemos que as mulheres têm a pressão social, religiosa, com relação ao comportamento. Então, acaba existindo um ambiente onde as pessoas podem se encontrar, com roupas mais leves, às vezes até menos roupa, e isso favorece pelo lado feminino. Já o homem, tem uma cultura latina que o favorece, por ser atirado, às vezes tomar a iniciativa e o verão acaba sendo um estímulo.

Deve-se ter algum cuidado especial ao praticar sexo na piscina ou na praia?

Tirando o risco de atentado violento ao pudor, do ponto de vista médico, não existe uma contraindicação ou um malefício para ambos. Lembrando que a água do mar nem sempre é uma água limpa e isso pode provocar problemas de saúde, como irritação na pele. 

E ao praticar sexo durante o banho?

O grande cuidado que deve ser tomado é a questão de escorregar e sofrer um acidente. Não há contraindicação nesse tipo de prática, contato que cada um tome um cuidado para não se acidentar.

É recomendado praticar sexo em horários mais amenos e frescos?

A prática sexual, como qualquer prática de atividade física, deve ser feita em condições onde exista um conforto, pois auxilia no desempenho do casal. Fazer sexo dentro de um ambiente frio, quente, úmido ou seco vai inibir e trazer um desconforto para ambos, fazendo com que aquele momento seja frustrante e levando a uma sobrecarga do coração.

A desidratação e a sobrecarga podem provocar um mal estar e até, eventualmente, um infarto, uma angina, dor no coração, por exemplo. Como qualquer atividade física, é recomendável um conforto térmico, arejado, agradável e bom para o casal.

Com o calor excessivo, é recomendado praticar posições de menor contato físico?

Na verdade, não é o contato físico que aquece cada pessoa. Claro que quando você está em um ambiente frio, um casal abraçado, faz com que o calor de uma pessoa passe para outra. Mas, uma situação de verão, onde ambos estão nus, o contato físico não chega a provocar um aumento da temperatura. 

O corpo do ser humano tem temperatura ‘fixa’, então a temperatura da nossa pele é ‘normal’ de 35, 36,5. Quando em contato com outra pessoa, com a mesma temperatura, não há nenhuma mudança de temperatura corporal. 

Existe a necessidade de se hidratar bem e o casal encontrar a posição que seja mais confortável para ambos. A posição deve ser a melhor para ambos para não estragar um dia/noite de prazer. A dica é tomar bastante líquido e se refrescar.

Lubrificantes e preservativos de efeitos refrescantes são liberados? 

Existem produtos que, quando estão em contato com a pele, provocam a sensação de gelado, de frescor… É possível fazer uma analogia com a bala ‘halls’ que dá aquele frescor, por exemplo. 

Há produtos como gel e lubrificantes que dão uma sensação equivalente a região genital, seja de frescor, seja de calor. Então, esse tipo de creme e gel que provoca uma sensação que estimula as terminações nervosas e dão a sensação de que estão esquentando ou esfriando, não tem contraindicação médica.

Os produtos criados para essa finalidade de prática sexual são inofensivos e simplesmente estimulam as terminações nervosas enganando o nosso cérebro, com sensação diferente, que pode, dentro da fantasia sexual do casal, ser algo que possa estimular ou criar um contexto de novidade, de brincadeira, experimentação, que aumenta a intimidade e aumenta a confiança mútua. 

Não indicamos o uso de pimenta ou produtos desenvolvidos para outra finalidade, pois são completamente desencorajados e contraindicados, mas produtos que sejam liberados para esse tipo de atividade sexual normalmente são bastante seguros e não há riscos nem para saúde do homem, nem da mulher.

Publicado originalmente em Fortíssima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *